Pages

sábado, 25 de julho de 2009

Faz tempo que é assim!

Seria de uma inocência (tipo eu acredito em Papai Noel) afirmar que a usurpação, em várias formas e em diversos valores - inclusive financeiro - da coisa pública teve início na era Sarney, a bola da vez no cenário nacional. Na verdade os escândalos envolvendo o nome do senador são apenas alguns entre os muitos que já foram denunciados e muitos outros que continuam “por debaixo do pano”.

Jornalistas como José Nêumanne Pinto (1), há muito tempo, e o pessoal do Programa CQC (2), mais recentemente, entre outros, prestam um grande serviço para a população brasileira expondo de forma inteligente e corajosa os desmandos que existem na vida pública. Onde o que é público é tido como privado e nós somos mandados para as privadas!

A pergunta é: Até quando seremos usurpados impunemente?

Quanto à declaração de José Sarney de que "a nação brasileira não pode me julgar" respondo para ele, de forma mal educada, com uma pergunta: Desde quando o patrão não pode julgar o empregado enquanto no exercício de suas (ir)responsabilidades?

(1) Poeta, escritor, jornalista e editor do Jornal da Tarde - http://www.neumanne.com/
(2) Programa da Rede Bandeirantes de Televisão - www.band.com.br/cqc/

0 comentários: