Pages

terça-feira, 28 de julho de 2009

Farinha pouca, meu pirão primeiro!

Difícil admitir, mas na maioria das vezes agimos exatamente dessa maneira! Raramente repartimos verdadeiramente alguma coisa, na maioria das vezes damos o que nos sobra, ou vai fazer pouca falta.

É fácil constar isso: Incluamos no mesmo cardápio coisas materiais e outras imateriais, como dinheiro, roupa, tempo, atenção, etc., façamos uma breve análise racional e vejamos se os resultados quase sempre não se traduzem nas afirmativas abaixo, ou outras bem parecidas, quando surgem oportunidades de, alguma forma, ajudar:

· O dinheiro está curto!
· Essa roupa ainda dá para usar!
· Desculpa não está dando a atenção que você merece, mas...
· Estou sem tempo para nada!

Instinto de sobrevivência ou egoísmo?

Nas questões materiais, quando temos pouco ou nada, poderíamos dizer que é questão de sobrevivência, ou mesmo de impossibilidade. Nas questões imateriais, embora as justificativas sejam menos plausíveis, poderíamos dizer que estamos correndo atrás da sobrevivência. Mas, nos dois casos, quando temos além do suficiente?

O primeiro passo, logo o básico, para corrigir nossos defeitos, dentre os quais o egoísmo em suas diversas matrizes ocupa posição de honra (?), é desenvolver a vontade de conhecê-los, o segundo passo é querer corrigi-los. Antes disso nada poderá ser feito de forma eficaz, pois não podemos -conscientemente - atuar sobre algo que por arrogância ou simples desinteresse, desconhecemos.

1 comentários:

Eduardo disse...

Amigo Cláudio,

Parabéns pela iniciativa do Blog e pelo texto de abertura!

Grande abraço,
Eduardo.